ACESSO À EDUCAÇÃO

Número de crianças e adolescentes fora da escola aumentou em todo mundo, afirma Unesco

  • Cerca de 30% das crianças sem acesso a educação vivem na África Subsaariana, e 10% na Ásia Meridional e Ocidental.

     

Número de crianças e adolescentes fora da escola aumentou em todo mundo, afirma Unesco Foto: EPA/NIC BOTHMA

Meninas são as que estão em pior situação de acordo com o informe da Unesco

O número de crianças e adolescentes sem escola no mundo está em expansão e chegou a 124 milhões em 2013, segundo informou essa semana a UNESCO ao alertar que a ajuda internacional para educação tem sido insuficiente para universalizar a educação básica e secundária.

Segundo o informe de “Acompanhamento da educação para todos no mundo”, elaborado por uma equipe independente e divulgado pela UNESCO, mais de 1/3 das crianças sem escola na América Latina jamais terão oportunidade de ir para a escola.

Por outro lado, o maior crescimento nas taxas de escolarização foi registrado na América Latina e no Caribe, na Europa Central e Oriental, segundo o informe divulgado pela UNESCO. A publicação não cita números de cada região.

A diretora geral da UNESCO, Irina Bokova, assinalou que “poderia ser muito difícil” garantir a crianças e adolescentes de até 12 anos o acesso gratuito e igualitário à educação, fixado durante o Fórum Mundial dobre Educação, realizado em maio, “a menos que os países se comprometam a aumentar a ajuda nas próximas conferências de Oslo e Adís Abeba”.

Cerca de 30% das crianças sem acesso a educação vivem na África Subsaariana, e 10% na Ásia Meridional e Ocidental.

Seguindo estas estimativas, 24 milhões dessas crianças não terão a oportunidade de frequentar a escola – 36% delas na América Latina, 50% na África Subsaariana e 57% da Ásia Meridional e Ocidental.

Desigualdades

No que se refere ao gênero, as meninas são as que estão em pior situação de acordo com o informe da Unesco. Elas são as mais desfavorecidas sobretudo na Ásia, onde 80% deles possuem “muito pouca” probalidade de ter acesso à educação. entre os meninos esse percentual cai para 16%.

Entre os adolescentes, um em cada seis não está escolarizado, o que representava um total de 65 milhões de jovens em 2013

Conflitos como a guerra da Síria agravam esse problema, segundo destacou a diretora do instituto de estatística da UNESCO, Silvia Montoya, que destacou que após dois anos de guerra praticamente todas as crianças e adolescentes do país abandonaram os estudos – cerca de dois milhões de crianças.

Por outro lado, o informe destaca como dado positivo o fato de que 40 países num total de 164 analisados terem implantado a educação pré-escolar obrigatória.

Em relação ao financiamento, os autores do estudo destacam que a ajuda para a educação se mantém 4% abaixo do nível de 2010 e que “sem compromissos renovados” a ajuda para a educação seguira estagnada pelo menos até 2017.

De acordo com os cáculos da UNESCO, faltaram 39 bilhões de dólares para garantir os próximos 12 anos de educação entre países com baixa renda.

Os autores também lamentaram que as doações internacionais não estejam sendo direcionadas para onde é mais preciso, já que mais da metade das crianças sem escola estão localizadas na África Subsaariana – que recebeu apenas 1/3 do total dos recursos disponíveis.




Secciones: