MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Ministro da educação diz que não é o momento do Brasil aumentar os investimentos em educação

Ministro da educação diz que não é o momento do Brasil aumentar os investimentos em educação Foto: Arquivo EFE

O ministro afirmou em evento em São Paulo que a situação atual do país requer que o Executivo pense cada real a sua disposição.

O ministro da educação, Renato Janine, afirmou hoje que a “atual situação econômica” do país não está permitindo que 10% do Produto Interno Bruto (PIB) esteja sendo dedicado à educação, meta do próprio governo firmada no ano passado para ser aplicada em totalidade até 2024.

“Chegar a 10% do PIB não é uma coisa fácil, sobretudo na situação econômica atual”, apontou Janine durante sua participação no Foro de Educação promovido pela revista Exame, que aconteceu hoje em São Paulo.

A presidenta Dilma Rousseff sancionou em junho de 2014 o Plano Nacional de Educação (PNE), lei que obriga ao Poder Executivo a elevação de seus investimentos em educação para 10% do PIB num prazo de dez anos.

De acordo com o ministro, os gastos mais consideráveis do PNE são aqueles destinados à construção e remodelação de infraestruturas e os investimentos em tecnologia.

“Mas não serve para nada gastar dinheiro sem saber como vamos gastar, apontou Janine, que defende que cada real é importante para o Executivo com os atuais problemas econômicos do país.

Com uma economia frágil e longe de começar a pensar em aumentar o gasto com as diversas verbas orçamentárias, o governo anunciou ontem um novo plano de cortes.

“Mesmo que hajam cortes (de recursos), o privilégio da área da educação é lidar com a inteligência, que não é algo que pode ser cortado, nem em tempos adversos” disse Janine.




Secciones: