INTERCÂMBIO UNIVERSITÁRIO

Feira de intercâmbios para o Reino Unido acontece em São Paulo

Feira de intercâmbios para o Reino Unido acontece em São Paulo Foto: Divulgação

A UK Universities 2015 é a maior feira de educação britânica da América do Sul e traz mais de 60 universidades para conversar “face-a-face” com estudantes que procuram possibilidades de intercâmbio nas ilhas britânicas.

São Paulo recebe neste próximo sábado, 3 de outubro, a feira UK Universities 2015, que traz representantes de grandes universidades do Reino Unido para um encontro com estudantes interessados em cursar graduações, pós-graduações, mestrados, MBAs e doutorados na Inglaterra, Escócia, País de Gales ou Irlanda do Norte.

Promovida pelo British Council do Brasil, a feira já acontece no país há 10 anos e é o maior evento de educação britânica da América do Sul. Dentre as mais de 60 universidades participantes, cinco estão no ranking das 100 melhores universidades do mundo: University College London, University of Manchester, King’s College London, University of Bristol e London School of Economics.

“São os próprios representantes destas universidades que vem conversar face-a-face com os alunos que planejam estudar fora”, contou ao EFEescola a diretora adjunta de educação do British Council, Fernanda Medeiros, enfatizando que o público normalmente se concentra em estudantes com a ideia de estudar fora já bem “amadurecida”, o que permite que as conversas “rendam bastante”.

Além da apresentação dos cursos, os representantes das universidades demonstram aos visitantes como é a “vida universitária” dos países britânicos, realizando palestras sobre a rotina estudantil, o método das universidades e até sobre as diferenças entre as universidades do coração de Londres e as localizadas no País de Gales e na Escócia, que mantém costumes diferentes dos ingleses.

Medeiros explica que estes países muitas vezes são até mais atraentes para os estudantes que a vida que eles podem encontrar nas grandes cidades inglesas, já que o custo de vida “é bem mais em conta que morar em Londres”, exemplificou.

A diretora afirmou que a expectativa é de receber cerca de 4 mil visitantes na feira em São Paulo, ela também ressaltou que existe uma grande presença de pessoas que visam mudar de carreira, que estão “chegando nos 30 anos e querem redirecionar suas vidas”, explicou.

“O Reino Unido culturamente é muito rico e as nações britânicas são muito abertas a estrangeiros, então o brasileiro que vai estudar por lá não vai conviver só com britânicos, mas com gente de toda a Europa, do Oriente Médio e da Ásia” assinalou Medeiros, ressaltando que o que atrai brasileiros às terras britânicas para o estudo é “o fato das universidades de lá serem muito multiculturais”

Ela garantiu que “os brasileiros se sentem muito bem recebidos no Reino Unido” e também que aprendem a estudar no método britânico, onde os alunos “tem muita independência com seus estudos”. O papel do professor acaba sendo o de um “orientador”, segundo explicou a diretora, diferente das “intensas aulas expositivas que são comuns em faculdades tradicionais brasileiras”.

Dentre os cursos mais procurados, Medeiros conta que as ciências humanas mantém grande destaque, principalmente em áreas como design, arquitetura, moda e economia criativa, para cursos de graduação. No caso de pós-graduações, a diretora disse que as business and law schools (economia e direito) são as mais procuradas.

“A educação no Reino Unido tem uma visão de longo prazo, que não só pensa o que você vai fazer no curso mas o que fará com os resultados dalí pra frente” destacou a diretora.

Só na última década, o interesse de estudantes brasileiros em estudar no exterior cresceu 500%, em 2014, 230 mil estudantes foram para o exterior fazer algum tipo de intercâmbio e mais de 4.800 tiveram no Reino Unido o seu destino.




Secciones: